Educação Ambiental. Abordagem Sistêmica: A Constituição Federal e as Normas Infraconstitucionais

  • Maria Lailze Simões Albuquerque Cavalcante
Palavras-chave: Educação Ambiental.Constituição Federal. Meio ambiente. Política preservacionista. Qualidade de vida. Interdisciplinariedade. Conscientização. Capacitação. Participação ao alcance de todos. Visão pedagógica. IBAMA. ”Conferência de Tibilisi”.

Resumo

O artigo aborda uma visão global da Educação Ambiental de forma sistêmica face à Magna Chartha e Leis de Proteção, ressaltando o caráter multidisciplinar e a importância da consciência ecológica/política às gerações presentes e futuras, conscientizando a relevância da cultura do conhecimento, das ações, das experiências, da postura crítica de cidadania, com o intuito de contribuir ao Direito Difuso a um meio ambiente saudável, como direito comum a todos. Necessário se faz com o estudo desse tema, resgatar uma nova ótica de desenvolvimento sustentável, buscando um ponto de equilíbrio entre o crescimento econômico e a preservação dos recursos naturais por meio de atividades de manejo florestal, reflorestamento, reciclagem de resíduos sólidos, o correto uso de agrotóxicos e a prática de conservação do solo, entre outros.

Referências

OLIVEIRA, E. M. de,. Educação Ambiental: Uma possível abordagem. 1a. ed. Coleção meio ambiente, Série Estudos, Educação Ambiental. Brasília, v.1, 1996.

OLIVEIRA, E. M. de. Série Meio Ambiente em Debate, vol.9, Brasília, 1996.

QUINTAS, J. S. Meio Ambiente e Cidadania. In: Montoro, T (org). Comunicação e mobilização social. Brasília: UnB, 1996.

ARRUDA, M. B. (org). Ecossistemas brasileiros. Brasília: IBAMA, 1996.

AGUIAR, A. R. de. Direito do meio ambiente e participação popular. 2a. Edição. Coleção Meio Ambiente, Série Educação Ambiental. V.2. Brasília, 1996.

OLIVEIRA, E. M. de. Diretrizes para operacionalização do PNEA. Série Meio Ambiente em debate, v.9. Brasília, 1996.

TRAJBER, R. Avaliando a Educação Ambiental no Brasil. Materiais Audiovisuais. Instituto Ecoar para a cidadania. São Paulo: Editora Fundação Petrópolis, 2001.

ALVARENGA, Octávio Mello. Política e Direito Agroambiental. Rio de Janeiro: Editora Forense, 1987.

FIORILLO, C. A. P. Curso de Direito Ambiental Brasileiro. São Paulo: Editora Saraiva, 2001.

FARJARDO, E. Se cada um fizer a sua parte... Ecologia e Cidadania. Rio de Janeiro: SENA, 1998.

FREIRE, P. Educação e Mudança. 5a. Edição. São Paulo: Paz e Terra, 1988.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia - Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1988.

LEITE, E. de O. A monografia jurídica. 5a. Edição. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2001.

MEDEIROS, J. B. Redação científica. A prática de fichamentos, resumos, resenhas. 4a. Edição. São Paulo: Atlas, 2000.

Trabalhos escolares e notas de aula: DEMO, P. Critérios de cientificidade. In: Metodologia científica em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1985, p. 14-18

Apostila:

OLIVEIRA¸ M. de L. R., UECE. Centro de Educação continuada e à distância. Curso de Formação de professores, Disciplina: Educação Ambiental. -Fortaleza. 1998.

BASTOS, N. M. G. Metodologia científica. – Notas de aula. Fortaleza, 2002.

Artigo - Revista:

ARAÚJO, P. Lições da natureza. Revista Nova Escola. São Paulo. Editora Abril. Fascículo - 150, p. 30 a 32, Março 2002.

Publicações dos órgãos públicos:

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais - PCN'S. Meio Ambiente. Brasília, 1997.

CONFERÊNCIA DE TBLISI - As grandes orientações. Coleção meio ambiente. Série Estudos: Educação ambiental, Edição Especial. Brasília, 1997.

Documentos legislativos:

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado 2009.

BRASIL. Lei 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente.

BRASIL. Lei 9.795, de 27 de Abril de 19999. Dispõe sobre o Plano Nacional de Educação Ambiental.

BRASIL. Lei 5.197, de 3 de Janeiro de 1967. Dispõe sobre a proteção à fauna e dá outras providências.

BRASIL. Lei 4771, de 15 de setembro de 1965. Institui o novo Código Florestal.

BRASIL. Lei 7.802, de 11 de julho de 1989. Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, o registro, a classificação, o controle, a inspeção, e fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins.

Publicado
2010-06-30
Como Citar
Cavalcante, M. (2010). Educação Ambiental. Abordagem Sistêmica: A Constituição Federal e as Normas Infraconstitucionais. Revista Controle - Doutrina E Artigos, 8(1), 385-402. https://doi.org/10.32586/rcda.v8i1.95
Seção
Artigos