Matriz de risco como instrumento no planejamento de auditoria de obras públicas: uma proposta metodológica não-paramétrica

  • Caio Petrônios de Araújo Lopes Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará - CGE-CE
  • José Benevides Lôbo Neto Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará
Palavras-chave: Matriz de Risco. Auditoria de Obras Públicas. Gestão de Risco.

Resumo

As matrizes de risco têm sido amplamente utilizadas como uma ferramenta de avaliação de risco em muitos campos devido à sua simplicidade e natureza intuitiva. Entretanto, a literatura especializada tem focado em suas aplicações nos mais diversos campos de atuação em vez de desenhá-las. Este trabalho tem por objetivo apresentar uma proposta metodológica robusta de matriz de risco para a seleção de contratos de obras públicas em amostras não-paramétricas. A metodologia é classificada quanto à origem como descritiva e quanto à abordagem do problema em quali-quantitativa, com padrão não-paramétrico com categorização das variáveis. O resultado demonstra a viabilidade da metodologia e a necessidade de melhorar os mecanismos de governança para um que priorize a análise de riscos no centro do planejamento para tomada de decisão dos gestores.

Biografia do Autor

Caio Petrônios de Araújo Lopes, Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará - CGE-CE
Auditor de Controle Interno da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará (CGE). Mestre em Engenharia de Transportes pela Universidade Federal do Ceará (2016), Bacharel em Engenharia Civil pela Universidade Potiguar (2013) e Especialista em Direito Administrativo pela Universidade Cândido Mendes (2014). Participou da elaboração do Manual de obras públicas e serviços de engenharia do Estado do Ceará.
José Benevides Lôbo Neto, Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará
Auditor de controle interno da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará (CGE), Orientador da Célula de Transparência e Ética. Doutorando em Engenharia Civil (Recursos Hídricos) pela Universidade Federal do Ceará, Mestre em Engenharia Civil, em Geotecnia, pela Universidade Federal do Ceará e Especialista em Segurança do Trabalho pela Faculdade Leão Sampaio (2011). Participou da elaboração do Manual de obras públicas e serviços de engenharia do Estado do Ceará e da implementação da Plataforma Ceará Transparente.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 31000: gestão de riscos – princípios e diretrizes. Rio de Janeiro: ABNT, 2009.

BOXPLOT – como interpretar? ABG Consultoria, Belo Horizonte, 22 jan. 2018. Disponível em: <https://bit.ly/2LPAlHU>. Acesso em: 15 ago. 2018.

BRASIL. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, p. 8269, 22 jun. 1993. Disponível em: <https://bit.ly/2NdkWEl> Acesso em: 2 nov. 2018.

BRASIL. Decreto nº 9.412, de 18 de junho de 2018. Atualiza os valores das modalidades de licitação de que trata o art. 23 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Diário Oficial da União, Brasília, p. 17, 19 jun. 2018. Disponível em: <https://bit.ly/2R6gUQR> Acesso em: 2 nov. 2018.

CEARÁ. Instrução normativa conjunta SECON/SEFAZ nº 1, de 1 de março de 2007. Estabelece normas de organização e apresentação das prestações de contas anuais e tomadas de contas especiais dos gestores e responsáveis por recursos públicos, do poder executivo estadual. Diário Oficial do Estado, Fortaleza, p. 26-28, 12 mar. 2007.

COMMITTEE OF SPONSORING ORGANIZATIONS OF THE TREADWAY COMMISSION. Gerenciamento de riscos corporativos: estrutura integrada. São Paulo: PricewaterhouseCoopers, 2007.

DUIJIM, N. J. Recommendations on the use and design of risk matrices. Safety Science, Amsterdam, v. 76, p. 21-31, July 2015.

ELLIS JUNIOR, R. D.; THOMAS, H. R. The root causes of delays in highway construction. In: 82th annual meeting transportation research board, 82.,Washington, 2003. Anais… Washington: TRB, 2003.

FREITAS, C. A. S. Gestão de risco: possibilidade de utilização pelo setor público e por entidades de fiscalização. Revista do TCU, Brasília, v. 33, n. 93, p. 42-54, set. 2002.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HER MAJESTY’S TREASURY. The Orange Book: management of risk – principles and concepts. London: hm Treasury, 2004.

Internal Audit Community of Practice. Risk assessment in audit planning: a guide for auditors on how best to assess risks when planning audit work. [S.l.]: Iacop, 2014.

LATORRE, M. R. D. O. Estatística não paramétrica – HEP-5762. [S.l.], 2013. Disponível em: <https://bit.ly/2s68sSX>. Acesso em: 3 jan. 2019.

LI, J.; BAO, C.; WU, D. How to design rating schemes of risk matrices: a sequential updating approach. Risk Analysis, Hoboken, v. 38, n. 1, p. 99-117, Apr. 2017.

LOPES, C. P. A. et al. Análise dos desvios de custo em contratos de obras rodoviárias no estado do Ceará. Revista Sodebras, [S.l.], v. 11, n. 132, p. 278-283, dez. 2016.

MAHAMID, I.; BRULAND, A.; DMAIDI, N. Causes of delay in road construction projects. Journal of Management in Engineering, [S.l.], v. 28, n. 3, p. 300-310, July 2012.

PAES, A. T. Por dentro da estatística. Einstein: educação continuada em saúde, São Paulo, v. 6, n. 3, p. 107-108, 2008.

PAINEL de obras. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Brasília, 6 abr. 2018. Disponível em: <https://bit.ly/2qUeUMp>. Acesso em: 1 nov. 2018.

PESQUISA global sobre fraudes e crimes econômicos. PWC, São Paulo, 3 mar. 2018. Disponível em: <https://pwc.to/2Aw9RGT>. Acesso em: 1 nov. 2018.

PORTAL Ceará transparente. Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado, Fortaleza, 13 maio 2018. Disponível em: <https://bit.ly/2Ms1FP8>. Acesso em: 1 nov. 2018.

PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos: guia PMBOK. 5. ed. Newtown Square: PMI, 2013.

Publicado
2019-03-14
Como Citar
Lopes, C., & Lôbo Neto, J. (2019). Matriz de risco como instrumento no planejamento de auditoria de obras públicas: uma proposta metodológica não-paramétrica. Revista Controle - Doutrina E Artigos, 16(2), 131-163. https://doi.org/10.32586/rcda.v16i2.508
Seção
Artigos