Agenda ambiental na administração pública e licitações sustentáveis como instrumentos de governança

  • Juliana Silva Rodrigues Universidade de Fortaleza.
Palavras-chave: Administração Pública. Agenda Ambiental. Licitações Sustentáveis. Governança.

Resumo

A proteção ao meio ambiente surge como necessária preocupação após tantas crises ecológicas sofridas no Brasil. Ela é garantida como direito fundamental pela Constituição Federal e é de responsabilidade do Estado. Objetiva-se neste trabalho demonstrar se a Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) pode ser utilizada como instrumento de boa governança, principalmente por meio das licitações sustentáveis, auxiliando o Poder Público a garantir um ecossistema saudável para as futuras gerações. Para tanto, utilizou-se pesquisa qualitativa, por meio de estudos bibliográficos, decisões judiciais e textos legais. Quantitativamente, também se usaram os dados do Ministério do Meio Ambiente para verificar se este programa vem sendo aplicado pelo Poder Público. Concluiu-se que a sustentabilidade é parte fundamental da boa governança e que as licitações sustentáveis, por serem o eixo que mais causa dispêndio à administração, devem ser priorizadas para que o Estado contribua o menos possível para a degradação ao meio ambiente. Por fim, acredita-se que mais organizações públicas devem aderir a A3P no intuito de difundir as práticas sustentáveis da boa gestão em todas as esferas do país.

Biografia do Autor

Juliana Silva Rodrigues, Universidade de Fortaleza.
Graduada em Direito pela Universidade de Fortaleza (Unifor). Especialista em Direito e Processo Tributário pela Unifor. Advogada. OAB/CE 35659.

Referências

ANTUNES, P. B. Direito ambiental. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2001.

ARAGÃO, A. S. Curso de direito administrativo. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

BRASIL. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, p. 16509, 2 set. 1981. Disponível em: <http://bit.ly/2M3NsWb>. Acesso em: 10 jan. 2019.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da administração pública e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, p. 8269, 22 jun. 1993. Disponível em: <https://bit.ly/ZTUiUn>. Acesso em: 07 ago. 2018.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis. Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental. Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P. Brasília, DF: MMA, 2001. Disponível em: <https://bit.ly/1dsnF6v>. Acesso em: 6 ago. 2018.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Medida Cautelar na Ação Direta de Inconstitucionalidade 3.540. Relator: ministro Celso de Mello. Diário da Justiça, Brasília, DF, 3 fev. 2006. Disponível em: <https://bit.ly/2LV0tEm>. Acesso em: 4 ago. 2018.

BRASIL. Portaria nº 217, de 30 de julho de 2008. Institui o “Comitê de Implementação da A3P no Ministério do Meio Ambiente”. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 174, seção 2, p. 85, 1 ago. 2008a. Disponível em: <https://bit.ly/2OMrpny>. Acesso em: 5 ago. 2018.

BRASIL. Portaria nº 61, de 15 de maio de 2008. Estabelecer práticas de sustentabilidade ambiental a serem observadas pelo Ministério do Meio Ambiente e suas entidades vinculadas quando das compras públicas sustentáveis e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 95, seção 2, p. 31, 18 maio 2008b. Disponível em: <https://bit.ly/2KEOGEN>. Acesso em: 9 ago. 2018.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instrução Normativa nº 1, de 19 de janeiro de 2010. Dispõe sobre os critérios de sustentabilidade ambiental na aquisição de bens, contratação de serviços ou obras pela administração pública federal direta, autárquica e fundacional e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2010. Disponível em: <https://bit.ly/2vWBINA>. Acesso em: 9 ago. 2018.

BRASIL. Lei nº 12.462, de 4 de agosto de 2011. Institui o Regime Diferenciado de Contratações Públicas – RDC e revoga dispositivos da Lei nº 9.649, de 27 de maio de 1998. Diário Oficial da União, Brasília, DF, p. 1, 5 ago. 2011. Disponível em: <https://bit.ly/2On10fb>. Acesso em: 8 ago. 2018.

BRASIL. Instrução Normativa nº 10, de 12 de novembro de 2012. Estabelece regras para elaboração dos Planos de Gestão de Logística Sustentável de que trata o art. 16, do Decreto nº 7.746, de 5 de junho de 2012, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 220, seção 1, p. 113, 14 nov. 2012. Disponível em: <https://bit.ly/2MlOdsF>. Acesso em: 5 ago. 2018.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Governança pública: referencial básico de governança aplicável a órgãos e entidades da administração pública e ações indutoras de melhoria. Brasília, DF: TCU; Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão, 2014.

BRASIL. Processo TC nº 037.311/2011-5. Acórdão nº 6.047/2015 – 2ª Câmara. Relator: ministro Raimundo Carreiro. Diário de Justiça, Brasília, DF, 25 ago. 2015a. Disponível em: <https://bit.ly/2vrILhP>. Acesso em: 7 ago. 2018.

BRASIL. Evolução de adesões à REDE A3P. Brasília, DF: MMA, 2015b. Disponível em: <https://bit.ly/2Pb11nG>. Acesso em: 15 ago. 2018.

BRASIL. Adesão à A3P: distribuição por esfera de Governo. Brasília, DF: MMA, 2015c. Disponível em: <https://bit.ly/2Pb11nG>. Acesso em: 15 ago. 2018.

BRASIL. Resultados do levantamento integrado de governança organizacional pública - ciclo 2017. Brasília, DF: TCU, 2017a. Disponível em: <https://bit.ly/2KcuC1l>. Acesso em: 4 ago. 2018.

BRASIL. Lista completa de instituições parceiras da agenda ambiental da administração pública – A3P. Brasília, DF: MMA, 2017b. Disponível em: <https://bit.ly/2nILIWF>. Acesso em: 15 ago. 2018.

CARVALHO FILHO, J. S. Manual de direito administrativo. 31. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

CEARÁ. Tribunal de Contas do Estado do Ceará. Índice de efetividade da gestão municipal - IEGM. Fortaleza: TCE-CE; IRB, 2017. Disponível em: <https://bit.ly/2AIc2K2>. Acesso em: 4 ago. 2018.

CEARÁ. TCE envia questionário para avaliar efetividade da gestão dos municípios. TCE-CE, Fortaleza, 19 abr. 2018. Disponível em: <https://bit.ly/2SDFd50> Acesso em: 12 dez 2018.

COLOMBO, S. R. B. O princípio do poluidor-pagador. Âmbito Jurídico, Rio Grande, n. 28, abr. 2006. Disponível em: <https://bit.ly/2QQ3Qyi>. Acesso em: 12 dez. 2018.

FERNANDES, F. C.; PETRY, J. F. Desempenho sustentável e governança corporativa: uma investigação sobre a forma como as empresas no setor de atuação de materiais básicos evidenciam a sustentabilidade. Revista Eletrônica de Administração e Turismo, Pelotas, v. 5, n. 3, p. 431-453, jul.-dez. 2014. Disponível em: <https://bit.ly/2MatOqB>. Acesso em: 2 ago. 2018.

GONÇALVES, D. P. Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo. Jornal da UNICAMP, Campinas, 1 dez. 2017. Disponível em: <https://bit.ly/2qN1dhU>. Acesso em: 12 dez 2018.

HORA, R. A. A.; OLIVEIRA, O. V.; FORTE, S. H. A. C. Governança corporativa no setor público e privado no contexto brasileiro: a produção e a evolução acadêmica em dez anos de contribuições. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 11., 2014, Resende. Anais… Resende: AEDB, 2014. Disponível em: <https://bit.ly/2zP0H8b>. Acesso em: 12 dez. 2018.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável - IDS. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: <https://bit.ly/2O5Ag2w>. Acesso em: 4 ago. 2018.

MARINELA, F. Direito Administrativo. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2016.

MILARÉ, É. Direito do ambiente: doutrina, jurisprudência e glossário. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.

MOTTA FILHO, S. C. Direito constitucional: teoria, jurisprudência e questões. 26. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2016.

ONU – Organização das Nações Unidas. Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Brasília, DF: ONUBR, 1992. Disponível em: <https://bit.ly/1G5N2Su> Acesso em: 15 ago. 2018.

ROCHA, T. A.; QUEIROZ, M. O. B. O meio ambiente como um direito fundamental da pessoa humana. Âmbito Jurídico, Rio Grande, n. 95, dez. 2011. Disponível em: <https://bit.ly/2BbSmLK>. Acesso em: 12 dez. 2018.

WORLD BANK. Governance and management. In: ______. Global evaluations sourcebook. Washington: WBG, 2007. Disponível em: <https://bit.ly/2LE08Fg>. Acesso em: 27 jul. 2018.

Publicado
2019-03-14
Como Citar
Rodrigues, J. (2019). Agenda ambiental na administração pública e licitações sustentáveis como instrumentos de governança. Revista Controle - Doutrina E Artigos, 16(2), 376-401. https://doi.org/10.32586/rcda.v16i2.495
Seção
Artigos