Economia e Direito e o Futuro do Direito: Economia Compartilhada e Sua Regulação

  • Fernanda Karlla Rodrigues Celestino UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
Palavras-chave: Capitalismo. Economia Compartilhada. Regulação.

Resumo

A análise do panorama atual do capitalismo neoliberal demonstra que o futuro da economia mundial demanda adoção de novas práticas de produção e consumo com base em novos institutos. Este estudo explora elementos conceituais da prática contemporânea denominada “economia compartilhada” ou “colaborativa”, considerando os impactos já produzidos por essa tendência. Através de análise bibliográfica e qualitativa, pretende-se melhor compreender algumas peculiaridades dessa economia ainda pouco explorada pela literatura especializada, relacionando-a a tópicos que fazem parte da Nova Economia Institucional e oferecendo possíveis orientações às problemáticas que surgem no contexto de sua regulação. Dentre as conclusões, destaca-se que deve-se adequar os meios tradicionais de regulação da economia, desenvolvendo uma legislação que atenda as especificidades desse mercado.

Biografia do Autor

Fernanda Karlla Rodrigues Celestino, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
 Mestranda em Direito pela Universidade Federal do Ceará-UFC, especialista em Direito Civil e Processsual Civil pelo Centro Universitário de Araras Dr. Edmundo Ulson, bacharel em Direito pela Universidade Federal do Ceará, Analista Judiciário em Execução de Mandados do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará.

Referências

ABRAMOVAY, R. A economia híbrida do século XXI. In: COSTA, E; AGUSTINI, G. (Orgs). De baixo para cima. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2014. Disponível em: <https://goo.gl/1vtvJk>. Acesso em: 12 jun. 2017.

BARROSO, L. R. A ordem econômica constitucional e os limites à atuação estatal no controle de preços. Revista de Direito Administrativo, Rio de Janeiro, v. 226, p. 187-212, out./dez. 2001. Disponível em: <https://goo.gl/pYaTdU>. Acesso em: 6 maio 2017.

BATISTA, K. Como fica o direito do consumidor na economia colaborativa? Karla Batista Advocacia, Niterói, 4 abr. 2017. Disponível em: <https://goo.gl/iDGeKU>. Acesso em: 9 maio 2017.

BAUMAN, Z. Capitalismo parasitário e outros temas contemporâneos. Tradução Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Assembleia Nacional Constituinte, 1988.

______. Lei nº 8.884, de 11 de junho de 1994. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 jun. 1994.

CALGARO, F. Câmara aprova projeto que regula Uber, mas emenda inviabiliza serviço, diz relator. G1, Brasília, DF, 4 abr. 2017. Disponível em: <https://goo.gl/Yt28Lp>. Acesso em: 16 out. 2017.

COASE, R. H. A firma, o mercado e o direito. Tradução Heloísa Gonçalves Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2016. (Coleção Paulo Bonavides).

COMISSÃO EUROPEIA. Uma agenda europeia para a economia colaborativa. Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu, ao Conselho e ao Comitê das regiões. Bruxelas: Comissão Europeia, 2016. Disponível em: <https://goo.gl/HuQgks>. Acesso em: 15 jun. 2017.

CORTEZ, N. Regulating disruptive innovation. Berkeley Technology Law Journal, Berkeley, v. 29, n. 137, p. 175-228, 2014. Disponível em: <https://goo.gl/f8G7dP>. Acesso em: 12 maio 2017.

DOWBOR, L. A rede do poder corporativo mundial. Ladislau Dowbor, São Paulo, 4 jan. 2012. Disponível em: <https://goo.gl/94Cd58>. Acesso em: 9 maio 2017.

FARIA, J. E. A globalização econômica e sua arquitetura jurídica (dez tendências do direito contemporâneo. Revista da Academia Judicial, Florianópolis, ano 1, p. 41-59, 2010. Disponível em: <https://goo.gl/CLrTyP>. Acesso em 30 jun. 2017.

FERREIRA, K. M. et al. Economia compartilhada e consumo colaborativo: uma revisão da literatura. In: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 12.; CONGRESSO INOVARSE, 3., 2016, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: Firjan, 2016. 21 p. Disponível em: <https://goo.gl/kfjxCu>. Acesso em: 9 maio 2017.

FRAIBERGER, S. P.; SUNDARARAJAN, A. Peer-to-Peer Rental Markets in the Sharing Economy. Research Paper. Nova Iorque: NYU Stern School of Business, 2017. Disponível em: <https://goo.gl/74bBLz>. Acesso em: 20 maio 2017.

FRAZÃO, A. Tecnologia e regulação dos “novos serviços”. JOTA, São Paulo, 6 out. 2016. Disponível em: <https://goo.gl/9wqmXt>. Acesso em: 6 maio 2017.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Compartilhamento e uso intensivo do viário urbano em São Paulo. Relatório de acompanhamento do seminário realizado em conjunto com a Câmara Municipal de São Paulo. São Paulo: Centro de Estudos de Política e Economia do Setor Público da Fundação Getúlio Vargas, 2016. Disponível em: <https://goo.gl/5597eM>. Acesso em: 6 maio 2017.

HAQUE, U. Novo manifesto! capitalista: como construir uma empresa no século 21. Tradução Christiane de Brito. Porto Alegre: Bookman, 2012.

IE BUSINESS SCHOOL; FONDO MULTILATERAL DE INVERSIONES. I Informe Economia Colaborativa en América latina. Madrid: IE Business School, 2016. Disponível em: <https://goo.gl/1ehtgM> Acesso em: 9 maio 2017

KELLER, C. I.; BAPTISTA, P. Porque, quando e como regular as novas tecnologias? Os desafios trazidos pelas inovações disruptivas. Revista de Direito Administrativo, Rio de Janeiro, v. 273, p.123-163, set./dez. 2016. Disponível em: <https://goo.gl/dghBgn>. Acesso em: 12 maio 2017.

MARTINES, F. Juiz decide que motorista de Uber não tem relação de emprego. Conjur, São Paulo, 2 fev. 2017. Disponível em: <https://goo.gl/wberNm>. Acesso em: 9 maio 2017.

MASON, P. Pós-capitalismo: um guia para o nosso futuro. Tradução José Geraldo Couto. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Perspectivas sociales y del empleo en el mundo –Tendencias 2017. Brasília, DF: OIT, 2016. Disponível em: <https://goo.gl/rwty8y>. Acesso em: 9 maio 2017.

OXFAM. Documento informativo da Oxfam 210. Uma economia para o 1%. São Paulo: Oxfam, 2016. Disponível em: <https://goo.gl/tLSis9>. Acesso em: 9 maio 2017.

PIKETTY, T. O capital no século XXI. Tradução Monica Baumgarten de Bolle. 1. ed. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

PINHEIRO, A. C.; SADDI, J. Direito, economia e mercados. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

PRICEWATERHOUSECOOPERS. The sharing economy. Consumer intelligence series. Londres: PwC, 2015. Disponível em: <https://goo.gl/Ek7Jnr>. Acesso em: 15 maio 2017.

RANCHORDÁS, S. Innovation experimentalism in the age of the sharing economy, information society project. Lewis & Clark Law Review, Portland, v. 19, n. 4, p. 871-924, 2015. Disponível em: <https://goo.gl/JVWhva>. Acesso em: 12 jun. 2017.

REICH, R. B. Supercapitalismo: como o capitalismo tem transformado os negócios, a democracia e o cotidiano. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

SARMENTO, D. Parecer: Ordem Constitucional Econômica, Liberdade e Transporte individual de passageiros: “O caso Uber”. São Paulo: Conjur, 2015. Disponível em: <https://goo.gl/Nb9iG8>. Acesso em: 6 maio 2017.

SCALCO, P. R.; GUIMARÃES, C. F. Uma análise do mercado de consumo colaborativo. Disponível em: <https://goo.gl/nmiee3 >. Acesso em: 3 jun. 2017.

SEN, A. K. Desenvolvimento como liberdade. Tradução Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SUNDARARAJAN, A. Peer-to-Peer businesses and the sharing (collaborative) economy: overview, economic effects and regulatory issues. Small Business Committee, Washington, DC, 14 jan. 2014. Disponível em: <https://goo.gl/mwGh72>. Acesso em: 6 jun. 2017.

TAVARES, A. R. Direito constitucional econômico. São Paulo: Método, 2006.

TODESCHINI, M. O bolsa família dos países ricos. Revista Exame, São Paulo, ed. 24, set. 2016.

TRAPNELL, M. M. A relação de emprego dos motoristas do Uber. Conjur, São Paulo, 17 fev. 2017. Disponível em: <https://goo.gl/cwRTC7>. Acesso em: 9 maio 2017.

Publicado
2017-10-27
Como Citar
Celestino, F. K. (2017). Economia e Direito e o Futuro do Direito: Economia Compartilhada e Sua Regulação. Revista Controle - Doutrina E Artigos, 15(1), 274-315. https://doi.org/10.32586/rcda.v15i1.361
Seção
Artigos