A incidência do Código de Processo Civil e de princípios constitucionais de processo civil nos processos administrativos disciplinares de servidores públicos federais

  • Alex Menezes
Palavras-chave: Aplicação. CPC. Processo Administrativo Disciplinar. Âmbito Federal.

Resumo

Este estudo examina as normas legais que legitimam a aplicação dos dispositivos do Código de Processo Civil (CPC) e de princípios constitucionais de direito processual civil em processos administrativos disciplinares de servidores públicos federais, regidos pela Lei nº 8.112/1990. Para tanto, propõe uma interpretação de índole sistemática do ordenamento jurídico brasileiro, que converge para a cogência destas incidências preceitual e principiológica. O produto final servirá como breviário prático tanto aos membros das comissões processantes disciplinares e autoridades administrativas julgadoras quanto aos próprios servidores públicos processados. Do mesmo modo, será útil para encetar uma reflexão sobre este tema, considerando o pouco tempo de vigência do CPC, pelos estudiosos do direito. Tendo em vista a imprescindibilidade do real conhecimento de tais normas a fim de se certificar da retidão legal na consecução do desígnio do processo administrativo de natureza disciplinar em âmbito federal. Conferindo-se, ademais, um instrumento de prevenção à ocorrência de ilegalidades, desde a instauração até o julgamento final do processo administrativo disciplinar, com potencial para gerar, por decisão judicial, a invalidade de todo o procedimento.

Biografia do Autor

Alex Menezes
Auditor Federal de Finanças e Controle do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União desde 2004; Advogado; Articulista semanal do Jornal Correio de Sergipe; Fiscal de Tributos da Secretaria da Fazenda do Estado de Alagoas no período de 2002 a 2004; Técnico de Finanças e Controle da Gerência de Controle Interno do Ministério da Fazenda no período de 2001 a 2002.Graduado em Direito pela Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe-FANESE em 2014; em Ciências Contábeis pela Universidade Tiradentes-UNIT em 2006; e em Processamento de Dados pela Universidade Tiradentes-UNIT em 1998.Pós-Graduado em Direito Processual Civil pela UNINTER em 2017; Direito Público pela Faculdade Estácio de Sá em 2015; em Contabilidade Pública e Auditoria Governamental Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe-FANESE em 2006; e em Estatística pela Universidade Federal de Sergipe em 2001.Livros publicados: 1. Licitação & Contratação de advogado pela administração pública - sua inexigibilidade em face de limitações jurídicas. Curitiba: Juruá, 2014. 2. A (pretensa) magistratura dos Tribunais de Contas - um panorama das cortes brasileiras. Rio de Janeiro: Publ!t, 2016. Artigos publicados:1. Partidos Políticos. Teresina: Jus Navigandi, 2014.2. Comentários dos artigos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) sobre a adoção. Teresina: Jus Navigandi, 2014.3. Responsabilização do parecerista na dispensa ou inexigibilidade de licitação. Teresina: Jus Navigandi, 2014.4. Incidência dos efeitos da suspensão temporária e da declaração de inidoneidade em licitações públicas. Brasília: Revista do Tribunal de Contas da União, 2009.5. Incidência dos efeitos da suspensão temporária e da declaração de inidoneidade em licitações públicas. Brasília: Revista da CGU, 2009.6. Incidência dos efeitos da suspensão temporária e da declaração de inidoneidade em licitações públicas. Curitiba: Boletim de Licitações e Contratos, 2009.7. Artigos jurídicos publicados semanalmente (às terças-feiras) no Jornal Correio de Sergipe.

Referências

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado Federal, 1988.

______. Decreto nº 8.910, de 22 de novembro de 2016. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções de Confiança do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União - CGU, remaneja cargos em comissão e funções de confiança e substitui cargos em comissão do Grupo Direção e Assessoramento Superiores - DAS por Funções Comissionadas do Poder Executivo - FCPE. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 nov. 2016a. Seção 1, p. 13.

______. Decreto-Lei nº 4.657, de 4 de setembro de 1942. Lei de Introdução às normas do Direito Brasileiro. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 9 set. 1942. Seção 1, p. 1.

______. Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 19 abr. 1991. Seção 1, p. 1.

______. Lei nº 9.784, de 29 de janeiro de 1999. Regula o processo administrativo no âmbito da Administração Pública Federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 1 fev. 1999. Seção 1, p. 1.

______. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília, DF, 3 out. 2003. Seção 1, p. 1.

______. Lei nº 13.105, de 16 de março de 2015. Código de Processo Civil. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 17 mar. 2015. Seção 1, p. 1.

______. Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União. Manual de Processo Administrativo Disciplinar. Brasília, DF, mar. 2016b.

______. Supremo Tribunal Federal. Inquérito 2.424-QO, Relator: Ministro Cezar Peluso, Data de Julgamento: 27/06/2007, Plenário, Diário de Justiça Eletrônico, Brasília, DF, 24 ago. 2007.

______. Supremo Tribunal Federal. Súmula Vinculante nº 5. Data da Sessão Plenária: 07/05/2008. Diário de Justiça, Brasília, DF, 16 maio 2008.

BUENO, C. S. Manual de direito processual civil: inteiramente estruturado à luz do novo CPC – Lei nº 13.105, de 16-3-2015. São Paulo: Saraiva, 2015.

DWORKIN, R. Levando os direitos a sério. Tradução Nelson Boeira. 3. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010.

MAZZA, A. Manual de direito administrativo. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2016

MELLO, C. A. B. Curso de direito administrativo. 12. ed. São Paulo: Malheiros, 2000.

MENEZES, A. P. Licitação & Contratação de advogado pela administração pública – sua inexigibilidade em face de limitações jurídicas. Curitiba: Juruá, 2014.

NERY JÚNIOR, N.; NERY, R. M. A. Código de processo civil comentado. 16. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2016.

NEVES, D. A. A. Manual de direito processual civil – Volume único. Salvador: JusPodivm, 2016a.

Novo Código de processo civil comentado. Salvador: JusPodivm, 2016b.

TARTUCE, F. Manual de direito civil: volume único. 6. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Método, 2016.

TEIXEIRA FILHO, M. A. Comentários ao novo código de processo civil sob a perspectiva do processo do trabalho: (Lei n. 13.105, 16 de março de 2015, alterada pela Lei n. 13.256, de 4 de fevereiro de 2016). São Paulo: LTr, 2015.

THEODORO JÚNIOR, H. Curso de Direito Processual Civil – Teoria geral do direito processual civil, processo de conhecimento e procedimento comum. 57. ed. rev., atual. e ampl. Rio de Janeiro: Forense, 2016. v. 1.

TORRES, S. F. (Sup.). Dicionário de princípios jurídicos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

Publicado
2017-10-27
Como Citar
Menezes, A. (2017). A incidência do Código de Processo Civil e de princípios constitucionais de processo civil nos processos administrativos disciplinares de servidores públicos federais. Revista Controle - Doutrina E Artigos, 15(1), 223-253. https://doi.org/10.32586/rcda.v15i1.359
Seção
Artigos